O que fazer, quando ir e onde ficar entre as montanhas de Tilcara

omaguaca-pucara-tilcara-solanomundo
Conheça a cultura dos povos originários no Pucará de Tilcara
6 de dezembro de 2018
Na-midia-solanomundo-brasil
Os 11 melhores destinos para conhecer a história e a cultura do Brasil
13 de dezembro de 2018

O que fazer, quando ir e onde ficar entre as montanhas de Tilcara

Tempo de leitura: 10 minutos

Tilcara é uma vila pitoresca no norte da Argentina. A maioria dos moradores descende dos povos andinos e a outra parte é formada por porteños que deixaram Buenos Aires para abrir uma lojinha ou restaurante entre as montanhas.

Dois tipos de viajante se hospedam na cidade. Os que sobem para Machu Picchu e os que descem para Patagônia. Em Tilcara conheci uma mistura da Bolívia com a Argentina, onde os vegetais e tecidos vêm de cima e o vocabulário de baixo. Ao mesmo tempo que torci pro Boca Juniors, conheci um mini salar de Uyuni.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-tilcara

Apesar de inspirações e influências, Tilcara é um lugar único no mundo. Os povos originários que ali viviam deixaram suas marcas e lutaram bravamente contra a invasão Inca, séculos antes da invasão espanhola. A cidade tem menos de 6 mil habitantes e depois de um mês morando lá, pude conhecer do prefeito ao garçon e receber apelidos.

Entre minhas lembranças mais vívidas de Tilcara estão os cachorros correndo e as crianças no parquinho. A sensação de pagar 15 reais por um tinto de Mendoza, de acostumar os dedos fechando empanadas e de espremer os olhos quando meu chefe falava rápido demais.

Nada é melhor que a estrada passando na janela com o peso da mochila no colo. Mas eu acordei por 20 dias em Tilcara. Minha experiência meio louca da vez foi criar raízes entre montanhas coloridas a 2.500 km de casa.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-tilcara-coca

Como chegar em Tilcara

Você tem três opções principais para chegar em Tilcara a partir de Buenos Aires:

  1. Uma van chamada micro. Ela leva e trás os moradores de San Salvador de Jujuy para Buenos Aires. Essa opção é a mais econômica, mas a menos confortável. São quase 20 horas de estrada e a noite faz muito frio. Eu deixei de opção para quem quer economizar meeesmo. Mesmo assim, indicaria fazer a viagem aos poucos, caso decida ir por terra.
  2.  Ônibus de linha. Mais confortável que a van, provavelmente mais protegido do frio. Porém, o valor não compensa. Quando eu fui, em julho de 2018, a passagem de avião estava quase o mesmo preço do ônibus
  3.  Avião. Foi assim que eu cheguei em San Salvador de Jujuy, a partir de Buenos Aires. Comprei no site Plataforma 10, que reúne companhias low cost de avião e de ônibus. Paguei o equivalente a 300 reais e ainda pude adiar por uma semana minha volta a Buenos Aires por 100 reais.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar

Quando ir para Tilcara

Tilcara recebe viajantes o ano inteiro. Diferente do sul da Argentina, mesmo no inverno o sol aparece. Passei bastante frio a noite e calor de dia. Até me acostumar, minha pele ficou bem ressecada. O único remédio foi um tal de creme de lechuga, hidratante vendido no mercadão. Estendi minha visita até agosto, mês que não chove nem a pau. Entre novembro e dezembro Tilcara é mais úmida, ideal para visitar as Salinas Grandes e ver as nuvens refletidas nas poças d’água.

Janeiro: Os festivais de Tilcara

Durante o verão Tilcara recebe shows de cantores famosos e apresentações folclóricas. O “Enero tilcareño” tem até música. Niña de Tilcara, dos Intoxicados, conta a história de um cara que se apaixona por uma menina entre as montanhas. Sua banda e seus amigos de Buenos Aires o esperam de volta, mas ele promete reencontrá-la no mágico janeiro de Tilcara.

solanomundo-tilcara-enero-tilcareno

Fevereiro: O Carnaval del Diablo

Um boneco em forma de diabo que representa o sol é desenterrado em Uquia, cidade perto de Tilcara. A loucura é liberada com ele. A tradição e a fé se misturam nas ruas onde comparsas mascarados jogam farinha, confete e dançam o dia inteiro. A comitiva diabólica é toda convidada para comer o quanto quiser e beber até cair nas casas dos moradores. Os dias quentes e loucos acabam com o enterro do coisa ruim. Seu funeral marca o começo de um ano de espera. Eu estive lá em julho e infelizmente não cruzei com o demo. Morri de vontate, nunca conheci um morto tão querido.

solanomundo-carnaval-del-diablo-tilcara

Junho: Inti Raymi

Em Junho você pode viver uma festa de Inti Raymi, que em quechua significa “festa do deus sol”. Em Huacalera, povoado a poucos kilômetros de Tilcara, a cerimônia de renovação espiritual ganha mais força. O nascer do solstício de inverno é esperado por todos os moradores, que levam mates e cobertores. Aproveite para visitar em Huacalera seu imenso monolito, onde o Trópico de Capricórnio passa.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-inti-raymi1

Julho: O sol no inverno

As férias de inverno levam argentinos cansados da neve para Tilcara em Julho. Eles encontram outros viajantes do mundo e se sentem em outro país. Os hostels cheios demandam que um voluntário trabalhe a noite só para receber quem chega das Peñas Folclóricas e bares. Apesar de temporada, dá gosto viajar pelo norte da Argentina. Um super almoço com entrada, prato típico e sobremesa pode sair o equivalente a 20 reais. Cerveja Salta por 15 e um passeio longo pela região de carro, por 50. Minha sugestão é escolher iniciativas locais para gastar seu dinheiro. Além de ter uma experiência mais autêntica, você apoia quem vive lá e preserva a região.

solanomundo-almurzo-tilcara

Agosto: Pachamama

Agosto é o mês da Mãe Terra. Estendi minha viagem para ver com meus próprios olhos uma celebração tradicional. Não vi nada pelas ruas. Conversando entendi que teria mais sorte em Maimará, Humahuaca, Huacalera ou Purmamarca. Vi uma celebração a noite, onde nos reunimos ao redor de um morrinho. Cantamos, fizemos oferendas e me passaram um mate (tipo chimarrão). A diferença é que ele tinha outros ingredientes típicos e álcool.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-wayra

O que fazer em Tilcara

Comprar papines no mercado de Tilcara

Os papines são pequenas batatas típicas das sopas, guizos e cozidos dos povos andinos. Além dos papines, você encontrará tudo quanto é tipo de verdura, fruta e legume, que vêm lá da Bolívia. Além de grãos, carne de lhama, oferendas para Pachamama, folhas de coca e remédios naturais para todas as dores, do corpo e do espírito.

  • Pela manhã: Tome o Api, chá denso feito da mistura do milho roxo em pó com canela, cravo e açúcar. Vale uma refeição.
  • No Almoço: Prove o Locro, um ensopado com carne, grãos, legumes e linguiça servido em uma cumbuca de cerâmica quente.
  • Fim da tarde: Quando o mercado estiver para fechar, escolha entre o Tamal, massa de milho recheada com carne e a Humita, que lembra a nossa pamonha salgada.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-mercado

Tomar mates no mirante da cruz

Tomar mates ou subir com uma garrafa de vinho, você que sabe. Os vinhos em Tilcara são muito baratos, e muito, muito bons. Mas se você escolher o mate, saiba que nossos amigos argentinos levam muito a sério seu preparo. Passo a passo do que aprendi depois de errar algumas vezes:

1-Aqueca a água a 90 graus, antes que ferva coloque na garrafa térmica.

2-Coloque a erva mate na cuia e vire-a algumas vezes na sua mão, para remover o pó.

3- Disponha a erva na diagonal e encaixe a bombilla (canudo), na parte mais baixa.

4- Sempre encha o mate ao lado da bombilla, sem molhar a parte mais alta.

5- Tome você o primeiro turno, que é quando o chá fica mais amargo

6- Quando acabar, siga enchendo e passando para todos que estiverem na roda, até que ninguém mais queira ou que a água acabe.

7- Pronto! Você foi o sevador da vez.

solanomundo-tilcara-mate

Sumir nas Cuevas de Wayra

Wayra significa vento. Eu, Vicky e Macarena tinhamos um dia livre e muita vontade de conhecer essa caverna secreta. Não era pra gente ir sozinha, mas não era pra gente tanta coisa, que a gente cansou. Fomos. A cada passo da trilha íngreme, Tilcara ficava menor. A caverna tem saída e na outra porta, um mar de montanhas coloridas e cactos gigantes. Encontramos fósseis no caminho e outros corajosos em bando.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-cuevas

Comer as tradicionais empanadas jujeñas

Em todas as esquinas de Tilcara as típicas empanadas a la parilla são servidas. Elas são feitas na brasa. Jamón e queso, albahaca, salame e carne são alguns dos sabores. As empanadas de Jujuy disputam com as de Salta o posto de “a melhor da Argentina”. As empanadas salteñas são fritas e lembram uma Fogazza.

Ir a uma Peña Folclorica

Diferente da vida noturna em toda a Argentina, que começa em geral mais tarde que no Brasil. As Peñas Folclóricas começam a partir das 19 horas e rolam junto com o jantar. As danças típicas são ensindas desde criança por lá e eu peguei relativamente rápido a teoria do negócio. A dança é em casal, mas sempre se volta para o centro, onde todos dançam juntos. Além das cervejas nacionais como a Quilmes, a Salta e a Patagônia. A Peña Chuspita oferecia a “Me Echo la Burra” uma cerveja artesanal com o dobro de teor alcoólico.

solanomundo-pena-tilcara

A cultura e a história de Tilcara

O Pucará de Tilcara

Pucará é o nome dado a todas as fortalezas dos povos andinos, construídas com terra e pedras em cima de altas montanhas. O Pucará de Tilcara foi reconstruído e passa a quem visita, a sensação de voltar milhares de anos. A madeira de cactos gigantes, os cardones, servia de estrutura para as casas, templos e necrotérios. Os Pucarás existiram em milhares e com a invasão dos Incas e depois, dos espanhóis, a maioria foi destruída. Cada povo ao redor da cordilheira tinha sua própria cultura, idioma e sociedade que se mesclaram no decorrer do tempo.

solanomundo-pucara-tilcara

Os Tilcaras

Foram os Tilcaras, parte da população Omaguaca, que construiram o Pucará. Eles plantavam quinoa, batata e milho. Caçavam animais selvagens e criavam lhamas. O cacique dos Omaguacas, Curaca Vitipoco, liderou uma das resistências mais notáveis entre os povos Andinos. Segundo arqueólogos, os Omaguacas eram baixos, com rostos compridos e narizes pequenos. Seus tecidos, roupas de lã e arte cerâmica são reproduzidos hoje pela Quebrada de Humahuaca e norte argentino.

Onde ficar em Tilcara

Tierra Andina Hostel

O Hostel Tierra Andina foi minha casa em Tilcara. Meu trabalho voluntário nesta Argentina quase Bolívia foi mais ou menos acordado do Brasil. Por aquelas oportunidades da vida, voei ao lado do dono do hostel, que me deu uma carona de San Salvador de Jujuy até Tilcara. A diferença de visitar ou morar em um lugar para mim, foi deixar e levar a dura saudade do conviver. Vivi dias incríveis nesse hostel. Compartilhamos jantares, celebramos aniversários e era só aumentar a música que nada nos impedia de dançar. Cada novo viajante que chegava tinha o poder de renovar a festa.

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-hostel

Casa Los Molles

A Casa Los Molles é um hostel que fica no alto de Tilcara e dá altas festas de noite. Antes do maior evento da temporada, tive uma leve intoxicação alimentar. Me dei alta e fui. Lindo lugar, linda vista e ótima música até eu perceber que como médica, sou ótima jornalista. Voltei pro hostel no horário das crianças.

Uma viagem a Purmamarca

As Salinas Grandes

As Salinas Grandes, formam o terceiro maior deserto de sal da América do sul. Chamado também de “mini Uyuni” se tornou um ponto de encontro de acrobatas, músicos,  mochileiros e de todos aqueles que se cansaram da antiga rotina sem sal da cidade

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-salar

A Montanha de 7 cores

“El cierro de siete colores” colocou a Quebrada de Humahuaca no mapa. Viajantes do mundo inteiro vieram contar com seus próprios olhos as 7 cores que uma montanha só reunia. Anos depois, uma montanha de 14 cores, em Humahuaca tirou seu foco. Mesmo datada, a montanha de 7 cores impressiona e vale a viagem, de Tilcara a Purmamarca.

solanomundo-cierrosietecolores-tilcara

A cidade de Purmamarca

Purmamarca é um dos menores e melhores concervados vilarejos da Quebrada. Minha dica é o “Paseo de los colorados”que vai além do tour comum. Os cierros são incrivelmente coloridos, em vários tons de rosa, verde, vermelho e laranja. O vento é seco e a vegetação basicamente de arbustos e cactos. Purma conserva a arquitetura dos pueblos originários que viviam por lá e assim como Tilcara, oferece opções de hospedagem. Na feirinha você vai encontrar potes de cerâmica, comidas, casacos e mochilas da Bolívia

solanomundo-tilcara-oquefazer-ondeficar-Purma

Para ouvir antes de ir

Raquel Cintra Pryzant
Raquel Cintra Pryzant
Raquel Cintra Pryzant, 23, é jornalista e vive em São Paulo entre suas viagens pelo mundo. Ela é autora do projeto Sola no Mundo, viagens por histórias e culturas onde compartilha entrevistas e reportagens de suas viagens. Além de produzir artigos para Worldpackers, a Raquel é colunista da Hostelworld e trabalha como Nômade Digital.

2 Comentários

  1. Iara disse:

    oi! Estou indo pra Argentina em abril e pretendo passar umas 3 semanas no norte argentino, também fazendo work exchange. Qual cidade vc recomendaria no quesito coisas para se fazer e melhor ponto de partida pros destinos das proximidades? Dá pra trabalhar e ao mesmo tempo conhecer a região ou melhor reservar uns dias apenas para viajar?
    Sei que é mt pessoal, mas qual a média com gastos de lazer e alimentação por aí?

    Grata

    • Oi Iara! Que demais, tenho certeza que você vai curtir muito!

      Tilcara e Humahuaca oferecem oportunidades para voluntários, porém é mais fácil encontrar em Humahuaca. Humahuaca é uma cidade maior com muitos passeios, Tilcara te proporciona ficar mais perto das montanhas.

      No meu voluntariado, no Tierra Andina Hostel, eu ganhava todas as refeições e hospedagem. Mas o trabalho, inicialmente, era quase o dia todo. Eu acredito que é super possível trabalhar e conhecer tudo, mas fecharia pela Worldpackers, assim você tem certinho suas horas de trabalho e horas de lazer.

      De onde você é? Eu sou de São Paulo e para mim o norte da Argentina foi surpreendentemente barato. É possivel comer com o equivalente a 20 reais e a maioria dos passeios você vai fazer junto com a galera do hostel, em grupo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *